Ano novo, novas promessa

Rosh Hashana é a “Cabeça do Ano”, onde tudo que vai acontecer no ano é decidido.

Essa crença se repete em diversos níveis no judaísmo. Há quem acredite que o clima dos 12 primeiros dias ditam o clima para os 12 meses do ano. Se o primeiro dia é seco, o primeiro mês será sem chuvas. Se no segundo dia temos uma tempestade, o segundo mês será de temporais e inundações. E assim por diante.

Na cabala, diz-se que no começo do ano é quando refazemos nossas promessas para o ano segunte, preparando terreno através da razão e do perdão. E, para os mais culpados, fazer tzedaka sempre ajuda a barganhar algum presente de D’us.

Há quem diga que no início do ano, D’us escreve os justos no Livro da Vida, garantindo que o próximo ano seja bom para eles. Os que cometeram crimes graves vão para o livro do “Oposto da Vida”. Já o grupo intermediário está “por ser decidido”. Se não está decidido, ainda podemos tentar um último ato de arrependimento para garantir nossas bênçãos.

Mas D’us não é Papai Noel. A gente não tem que se comportar para ganhar presentes. Cabala é para ser útil, prática. Tudo existe quando existe em Malkuth. E vai se tornar mais real quando for feito para agir em Malkuth.

Nesse ano, sugiro pedir algo para nós mesmos. Mas para nós mesmo de verdade.

Maçã e Mel

Os símbolos de Rosh Hashana são a maçã e o mel. Dizem que a maçã simboliza a fé, pois frutifica antes de ter folhas. Assim como os judeus juraram obedecer a D’us antes de ouvir o que Ele iria pedir, a Imunah – explica a Cabala – se apresenta pela resposta que vem antes da pergunta.

O mel é um produto puro vindo de um animal impuro. Em outras circunstâncias, o que vem de um animal não kosher, impróprio, não deve ser consumido. O leite de uma vaca doente é impróprio, pois a vaca não está kosher. Já a pureza da abelha não atrapalha a pureza do mel. Mel é sempre kosher.

Da mesma forma, esperamos que o produto de nossas ações seja considerado puro, mesmo que nós sejamos imperfeitos.

Qual a prece certa?

  • Eu quero ter dinheiro. Dinheiro para quê?
  • Eu quero ter saúde. Saúde para quê?

Eu quero dinheiro para viajar? Quero ter saúde para viajar? Eu quero viajar para saber mais? Eu quero saber mais para viver melhor? Eu quero viver melhor para… para quê?

Eu quero ter saúde e inteligência para fazer o que D’us mandou eu fazer. Eu não sei o que é, mas com certeza eu preciso de saúde e de inteligência. Talvez eu precise de coragem. Talvez eu precise de compaixão.

E já que estamos pedindo, podemos pedir mais e melhor. Eu quero saúde e inteligência para todos nós, para que todos nós possamos cumprir o trabalho que nossa alma veio fazer aqui.

Eu quero saúde e inteligência para poder servir a D’us?

O pedido certo para esse ano novo é aquele cuja resposta chegou antes da prece.

Pense no que lhe está sendo pedido agora. O que tu precisas fazer nesses próximos dias, nesses próximos meses. Qual o desafio? Qual o grande problema que tu vais solucionar? Então, se parece que vai faltar dinheiro, peça dinheiro. Se parece que falta um carro novo, que seja um carro novo. Se parece que falta saúde, peça saúde. Peça o que for necessário para fazer o que precisa ser feito.

Eu quero saúde e inteligência para que minhas ações sobre a Terra sejam boas nesse ano que se inicia.

Em 2021, Rosh Hashana começa no anoitecer de 6 de setembro e termina com o início da noite de 8 de setembro. Renovem-se as preces. Um ano bom e doce a todos!

Shbaa.

Você também vai gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *