Demônios imaginados: A Mulher de Branco

Ela se chama Jeanette no Sul do Brasil. No Sudeste a conhecem como Janete. Um amigo, vindo do Nordeste, jura que ela se apresentou como Maria João. O pessoal do Norte conta que ela era casada com o boto e vem alertar os maridos nas estradas que as esposas correm risco de serem levadas pelo homem do chapéu branco. A gente do Pantanal diz que, se ela aparecer por lá, morre de novo.

É lenda urbana comum entre caminhoneiros. Pudera, se ela viaja na boleia Brasil a fora, procurando um novo pobre diabo para levar consigo. Deve ser fácil chegar aonde quiser.

Continue Reading

Demônios imaginados: os Shamashim

Em Chanuka, o costume judaico é acender um candelabro, chamado chanukiah, com oito velas. Chanuka é uma festividade de 8 dias. A cada noite acendem-se o número de velas do dia respectivo. Uma na primeira noite, duas na segunda noite, três na terceira… Mas, se você prestar atenção, verá que as representações da chanukiah têm 8 velas. A chanukiah de verdade tem 9 velas. A nona vela é chamada de shamash.

Continue Reading

O Desmembramento do Xamã: Morte e Cura 

Os espíritos jogam o iniciado em uma mesa negra, e retalham seu corpo com facas de ossos e pedra. A carne se desfaz e vira pó; Um dos espíritos procura um osso específico, do esqueleto do iniciado. Encontrando um certo osso com um orifício, o espírito insere seu olho neste buraco, e vê que o iniciado será um xamã. Então os espíritos começam a refazer o homem, para que ele renasça repleto de poder.

Continue Reading

Magia Prática: Caso 1 – Da Evocação e Invocação de Patinhas McPato.

Um bom momento a todos os leitores.

Desde sua criação por Carl Barks, no final da década de 40, o personagem Tio Patinhas, tem sido um exemplo de capitalista bem sucedido, de um vencedor por seus próprios esforços e uma propaganda para gerações de crianças, sobre a meritocracia.

Ele é o pato mais rico do mundo, um negociante bem sucedido em quaisquer áreas que se aventure, tornando o conjunto de ideias que responde pelo título de Tio Patinhas uma força poderosa se evocada.

Continue Reading

A Prática do Altar Pessoal

Vocês já estudaram os Quatro Instrumentos conosco e ainda aprenderam como consagrar um objeto. Agora, vamos juntar estas práticas e analisar o Altar Alquímico (ou “Pessoal”), um importante Instrumento de prática e desenvolvimento que incorpora em si os Quatro clássicos herméticos.

Imagem destacada: “O Mago” do tarot de Waite, que trabalha sobre um altar alquímico

Continue Reading

O último spoiler

Antes de começarmos, quero propor um exercício.
Imagine uma pedra na mão.
Feche a mão.
Guarde a pedra imaginada ali por uns instantes.
Voltaremos mais tarde.

Ok. Este é o último spoiler. A última frase da última monografia. A última troca de faixa. O último segredo no último portal. O último guia que abre a última porta.

Você se senta para ler a última carta, escrita à mão por um Mestre Que Veio Antes e endereçada diretamente a você.

Continue Reading