Resistência Mágica

É inevitável falar disso. Estamos em “tempos interessantes”, conforme diz o ditado/maldição; e é gritante que foi consolidado no Brasil um movimento sócio-político dedicado à perseguição de grupos vulneráveis. Em maior ou menor grau, diversas linhas magísticas serão implicadas por sua ascensão e precisamos discutir o que cada um, individualmente, pode fazer diante desse período escuro.

“Un rêve peut mourir mais on n’enterre jamais l’avenir!”

Continue Reading

Practical Magic: From the Use of the Language of Flowers.

 

A good time for all readers.

On this day , spring is the doors here in the southern hemisphere, so I thought it appropriate to share my thoughts about incorporating the language of flowers into rituals.

The language of flowers that I refer to in this text is floriography, the Victorian language that attributes meanings to each flower.  

While the use of flowers is not new in rites practiced by many systems, what I propose here is to add this meaning attributed the flowers in varied rites, to add the strength of this symbol to its magical construction.  

Continue Reading

Magia Prática: Da Utilização da Linguagem das Flores.

Um bom momento a todos os leitores.

Neste dia que escrevo este texto, a primavera está as portas aqui no hemisfério sul, então pensei ser apropriado compartilhar meus pensamentos sobre incorporar a linguagem das flores em rituais.

A linguagem das flores que me refiro neste texto é a floriografia, a linguagem vitoriana que atribuia significados a cada flor.  

Enquanto a utilização de flores não é novidade em ritos praticados por muitos sistemas, o que proponho aqui é acrescentar este significado atribuído as flores em ritos variados, para somar a força deste símbolo a sua construção mágica.  

Continue Reading

O Desmembramento do Xamã: Morte e Cura 

Os espíritos jogam o iniciado em uma mesa negra, e retalham seu corpo com facas de ossos e pedra. A carne se desfaz e vira pó; Um dos espíritos procura um osso específico, do esqueleto do iniciado. Encontrando um certo osso com um orifício, o espírito insere seu olho neste buraco, e vê que o iniciado será um xamã. Então os espíritos começam a refazer o homem, para que ele renasça repleto de poder.

Continue Reading

O Holobionte e a Practognose

Holobionte: ser vivo (teórico) formado pela soma de organismos (micro e macro) que estão em simbiose. Nós, nossas bactérias e nossos vermes.

A discussão sobre o conceito não é tanto se a teoria está correta, mas, sim, se ela é necessária. Não vale a pena simplesmente aceitarmos que consciência e decisão não são tão individuais assim?

Practognose: conhecimento prático e corporal que precisa ser acessado sem a consciência/cognição, porque é interrompido por processos cognitivos conscientes. Quem dança ou pratica artes marciais entende bem o conceito.

O termo foi cunhado por Merleau-Ponty, mas não costuma ser muito utilizado fora de estudos específicos. É mais fácil encontrar o termo “apractognose”: incapacidade de por em prática habilidades motoras, como vestir as roupas. Diferente de falta de coordenação motora ou falta de cognição, a apractognose aparece na aplicação da ação nessas habilidades do dia-a-dia, que deveríamos ser capazes de fazer sem problemas, mas que, por algum motivo, quem sofre de apractognose não é capaz de completar.

Continue Reading

O Despertar ao Amanhecer

O equinócio de primavera marca o despertar da terra e o início da semeadura. Dentro de uma ritualística sazonal, observar o início dessa estação também significa o momento em que a energia telúrica tomará seu espectro diurno e conduzirá tudo à uma postura ativa. Discutiremos as bases dos rituais sazonais e dos mistérios da movimentação natural com base nas Libações de Primavera.

Continue Reading

Venci Alexandre, o Grande, em 2010. Venço Isaac Luria este ano. Ano que vem vencerei Chopin.

Alexandre, o Grande, conquistou o ocidente e morreu aos 30 anos de idade. Venci Alexandre em 2010. Ano que vem, eu chego à idade de Chopin. É interessante pensar em como deixamos essas coisas passar sem comemorar, sem enxergar grandiosidade desses fatos.

Frederic Chopin nasceu em uma aldeia pequena da Polônia, chamada Zelazowa Wola, em 1810. Compôs pelo menos 74 Opus (obras que recebem numeração) e morreu aos 39 anos. Se compôs a primeira aos 15 anos, foram menos 3 por ano. Dizem que odiava tudo que fosse lento.

Venço esse homem ano que vem.

Continue Reading

O Orvalho da Yggdrasill, o Dragão e o Destino

Existe um mito sobre as Nornir (a tríade do Destino no panteão nórdico) onde além (ou “ao invés”) do papel de fiandeiras seria de sua ocupação regar as raízes da Yggdrasill. Embora já tenhamos analisado a Wyrd em textos anteriores, discutiremos os símbolos usados por esse mito para explicar este conceito que muitas vezes pode soar confuso. Recomendo (re)ler o texto anterior, para se familiarizar não apenas com a noção nórdica de Destino como também com os termos que serão usados.

Imagem destacada: Nataša Ilinčić. Sim, a mesma do artigo anterior; porque não achei nenhuma outra que me agradasse tanto quanto…

Continue Reading