A Força, Hércules, a Bela e a Fera e J-RPG

beauty-and-the-beast-2017[1]

Os Arcanos do tarot são arquetípicos, podendo se manifestar como personagens específicos, cenas ou mesmo o tema de contos inteiros. O arcano d’A Força possui diferentes formas de representação em todas estas formas, e pode ser visto até mesmo como uma expressão do método de busca de algumas linhas magísticas. Analisaremos aqui alguns destes diversos modos que foi retratado, traçando os paralelos entre eles.

strength_rws_lg[1]
“A Força” do Tarot de Rider-Waite, uma das representações mais recorrentes

“Apenas através da força alguém pode superar a dor e o tormento” —Avatar de Nyx , em Persona 3

“A Força” simboliza virtudes nobres, surgidas após o confrontamento com um desafio que exige que a Mente elevada vença o ego arbitrário e instintivo. A “força” usada pela Mente para este embate não é brutal – orientada por uma consciência elevada e racional, é capaz de usar a suavidade para dominar seu lado mais feral; por isso, a representação mais comum mostra uma jovem mulher domando um leão selvagem através do toque. Muitas vezes este leão se torna o protetor da mulher, ou mesmo sua montaria. O Ego – ou nossa fera interior – é primal e irracional, porém guarda em si o potencial e o ímpeto que nos permite avançar; a Mente, através da coragem, disciplina e ponderação, é capaz de canalizar tudo isso na forma de uma força motivadora, que pode nos impulsionar para manifestar a nossa Vontade ou até nos proteger de opositores.

Esta imagem nos remete muito ao conto “A Bela e a Fera“, onde o contato com uma mulher inteligente e corajosa se torna a chave para quebrar a maldição que recorre sobre um nobre – condenado à ter aparência monstruosa. Fera era arrogante, bruto, violento e egoísta, sendo possível assumi-lo como um estado inconsciente onde não é mais possível esconder nosso lado sombrio. Bela, através da delicadeza, é capaz de extrair o melhor de Fera e fazer com que sua Essência venha à tona – revelando assim sua aparência como um belo jovem. Na versão apresentada pela Disney, talvez a mais popular atualmente, podemos ainda assumir o vilão Gaston como uma representação da ignorância – um obstáculo para a manifestação da Essência, capaz de mover multidões para desafiar aqueles dispostos a evoluir.

Outro conto que reflete de forma icônica este arcano é o embate entre Hérakles (ou “Hércules” para os romanos) e o Leão de Nemeia, primeiro dos “Doze Trabalhos” enfrentados pelo herói da mitologia grega. A pele da fera era extremamente resistente, fazendo com que armas se partissem ao serem usadas contra ela; Hérakles só foi capaz de derrotá-la através de uma criativa estratégia, encurralando-a dentro de uma caverna após um árduo combate de mãos vazias a sufocar até a morte. É interessante observar que logo em seguida, usando uma das garras do próprio leão, Hérakles remove sua pele e fabrica uma armadura para si com ela – o Ego é capaz de nos proteger, mas é necessário que seja trabalhado a partir de si mesmo para isto. Dentro desta lógica, podemos refletir se a imagem de um herói que derrota um dragão não seria também uma boa iconografia para a Força.

PUNCH_Persona_4_The_Animation_-_05_HD.mkv_snapshot_19.00_[2011.11.05_17.45.46] (2)
Kou no anime de Persona 4
A série de games Persona, muito apreciada por fãs de J-RPGs, é famosa por seus personagens explicitamente baseados nos arcanos maiores. Em Persona 4, a Força é representada por Kou Ichijou – capitão do time de basquete da escola frequentada pelo protagonista. Inicialmente demonstrando uma personalidade alegre e sempre entusiasmado com o esporte, perde seu interesse ao ser conflitado com os valores de sua família tradicionalista. As interações com Kou então passam a se focar em ajudá-lo a perceber quais são seus reais valores e encontrar aquilo que efetivamente deseja para si, refletindo um confronto com seus aspectos mais baixos (exibidos no modo que Kou tenta fugir de suas responsabilidades tanto no basquete quanto com a família) que resulta quando o arcano da Força se manifesta.

crowley-11[1]
“Lust”: conduza seu ímpeto e sinta o êxtase!
É importante falar que Aleister Crowley, em seu Tarot de Thoth, mudou o nome deste arcano para “Lust” (“Luxúria”, “Volúpia”) e optou por retratar Babalon – a Dama Escarlate – montada sobre a Besta do Apocalipse. Embora a imagem possa parecer estranha para alguns, ela se torna relacionada com a Força quando compreendemos o Desejo como um impulso motor – Babalon o domina e o usa para avançar, obtendo um êxtase divino no processo; novamente tomando A Bela e a Fera como exemplo, é possível ver o casamento entre ambos no final do conto como uma representação da alegria resultante da união entre o Ego e a Essência. Alguns autores vêem esta versão do arcano como um aviso, para não se deixar dominar pelo impulso mergulhando em um prazeres – porém penso que estes fatores caracterizam mais o Diabo que a Força.

A Força é um arcano que deve estar frequentemente presente na trajetória de um mago, não sendo incomum encontrarmos vias esotéricas que falam do Ego submetido à Consciência para consecução da Vontade. Encarem seus leões como potenciais protetores, mesmo que isto signifique adquirir algumas cicatrizes e vesti-los como armaduras; ou então, permitam se apaixonar por eles e enxerguem o que podem oferecer de sublime, criativo e motivador. Ao buscar a força que surge a partir da coragem para resistir à obstáculos e oposições, nunca se esqueçam de também encontrar a alegria de uma vitória, de se extasiarem com o impulso que os permite sempre seguir em frente!

Posts relacionados

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *