Uma Não-Amarração de Dia dos Namorados

Bom dia, meus caros e caras!

Como sabem, amarrações são um tópico execrado na maior parte das ordens e tradições magisticas ocidentais – basicamente por ser magia negra do pior tipo, onde uma pessoa é usada de objeto pela outra por conta dos desejos e obsessões da segunda.

Não muito diferente de forçar alguém à escravidão amorosa e sexual!

Mas, ainda assim, muitos buscam esse tipo de serviço em casas de umbanda ou de pessoas que praticam magia em geral.

A todos que se sentem inclinados a buscar essa prática, ou até mesmo àqueles que, nesse dia especial, se sentem apenas solitários e em busca de amor, o Colégio Platinorum oferece um ritual de amor sincero, não para prender os outros, mas sim para libertar a você mesmo!

Oferecemos a vocês, o poderoso ritual da não-amarração!

 

 

O Poderoso e Místico Ritual da Não-Amarração

 

Itens Necessários:

Duas velas brancas

Uma vela de mel (amarela)

Suporte para as velas (pode ser um prato ou pires)

Uma rosa vermelha, uma rosa branca e uma rosa cor de rosa (opcionais)

Um copo com água

Umas gotinhas de mel

Um cristal (o melhor seria um verde, mas pode ser um de quartzo transparente comum)

Um pano branco

Um pente e um espelho (opcionais)

Óleo essencial de Ylang-Ylang ou uma vareta de incenso de Lavanda.

Isqueiro ou fósforos.

 

Preparação do Ambiente:

Inicie preparando o local do ritual.

Pode ser um cômodo qualquer da sua casa, mas ele deve estar limpo, sem poeira acumulando nos cantos nem qualquer tipo de sujeira.

Em seguida, coloque o pano branco no chão, ou em cima de um móvel. Você deve ter certeza de que não haja nada mais por perto desse pano e que ele não esteja em um local onde as pessoas possam pisar, já que ele vai ficar ali por um tempo!

Se escolher colocar o pano em um móvel, tenha a certeza de não haver nada mais no local do móvel onde você irá colocá-lo.

Sente-se ou fique de pé em frente a esse pano. A parte dele mais próxima de você, chamaremos Sul. A parte logo em frente será o Norte. A parte à direita será o Leste. E a parte à esquerda será o Oeste.

Feito isso, coloque os materiais por sobre o pano – Sem Acender as velas nem realizar nenhuma operação por enquanto!

Coloque a primeira vela branca a Norte. Lembre-se de colocar ela por cima de um suporte – você não quer botar fogo na casa!

Coloque o copo com água logo abaixo dela, e deixe o mel por perto.

Coloque a pedra de cristal no meio do pano.

Coloque a outra vela branca a Oeste, e a vela de mel a Leste.

Se tiver trazido as rosas, coloque a rosa vermelha à esquerda da vela branca (no extremo Oeste), a rosa de cor rosa à direita da vela branca (ainda no Oeste), e a rosa branca ao lado da vela de mel, no Extremo Leste.

Se tiver trazido o pente e os espelhos, coloque-os ao Sul.

O óleo de Ylang-Ylang (ou o incenso de Lavanda) devem ser colocados no Centro, junto com o Isqueiro ou os fósforos. Se escolher a vareta de incenso de Lavanda, lembre-se de coloca-la sobre um suporte adequado!

 

Ritual de Sacramento:

Todo ritual precisa iniciar com um sacramento – isso é, um outro ritual menor, para tornar o lugar e os objetos presentes sagrados!

Para isso, pegue o óleo de Ylang-Ylang e comece colocando uma gotinha na mão esquerda. Passe essa gotinha de óleo na sua mão direita, e depois inverta.

Se quiser, passe um pouquinho do óleo (bem pouquinho, ele é forte!) no seu colo e na sua nuca.

Enquanto estiver fazendo isso, deixe-se sentir o aroma do óleo, e respire bem fundo, acalmando todo o seu corpo e deixando toda a tensão ir embora. Diga a si mesmo, durante todo o processo, de forma calma e serena : “Esse é o meu corpo”.

Se tiver escolhido a vareta de incenso, pegue-a com a mão esquerda, acenda, e repita o processo, mas dessa vez usando a fumaça do incenso – passe a fumaça na sua mão direita, depois troque de mãos, passe na esquerda, deixe passar próximo do teu colo e depois nas suas costas, sempre escolhendo as posições mais confortáveis e relaxantes.

Feito isso, pegue uma gotinha do óleo e coloque na sua mão direita. Caso esteja usando o incenso, mantenha ele na sua mão esquerda.

Use o dedo indicador da mão direita para levemente molhar a mão no óleo, e então tocar cada um dos itens (velas, mel, água, espelho, pente, rosas) encima do pano, um a um, repetindo toda vez que tocar um item:

“Esse é o meu (nome do item)”.

Por exemplo, ao tocar a vela branca, diga “essa é a minha vela”. Ao tocar o copo de água, diga “esse é o meu copo, e essa é a minha água”.

Se estiver usando o incenso, aproxime a vareta de cada um dos itens, passe seu dedo dentro da fumaça e toque os itens com ele, sempre lembrando de dizer as palavras acima.

Enquanto faz isso, relaxe o máximo o possível.

Depois de tocar cada um dos itens, deixe o óleo (ou a vareta) no Centro do pano, toque eles e diga: “E esse é meu (…)” (óleo ou incenso, dependendo de qual estiver usando).

Por fim, pegue o óleo/incenso novamente, e coloque uma última gotinha na palma da sua mão esquerda (ou passe a mão esquerda por cima da fumaça do incenso).

Coloque o óleo/incenso de volta no centro do pano, e esfregue as duas mãos uma na outra.

Coloque a sua mão direita por sobre a sua barriga, mais ou menos dois dedos acima do seu umbigo, e sua mão esquerda estendida à sua frente, com a palma da mão voltada para fora – como se você estivesse abrindo uma cortina.

Passe a mão esquerda para a esquerda, dizendo:

“Eu limpo a esquerda com a força dos Guardiões e os chamo para me proteger. Laroyê! Laroyê Mô Jubá!”

Passe a mão esquerda para a direita, dizendo:

“Eu limpo a direita com a força dos Guardiões e os chamo para me proteger. Salve!”

Junte as duas mãos em oração na altura da sua garganta e feche os olhos, agradecendo e tendo a certeza de que tudo está pronto para você começar.

 

O Ritual da Não-Amarração.

Agora tudo está preparado!

Sente-se ou fique em frente ao pano, sempre de forma confortável.

Pegue o isqueiro, e acenda a vela que está ao Norte, dizendo:

“Que essa vela sirva para aproximar a mim de meu Anjo Guardião. Eu agora a dedico a esse fim”.

Coloque o isqueiro de volta no centro do pano, e pegue o copo com água com a mão esquerda, e o cristal com a mão direita.

Enquanto coloca o cristal na água, diga:

“Que esse cristal e essa água conectem a mim e a meu coração, para esse fim eu os dedico”.

Depois, pegue o mel e pingue três gotinhas na água, enquanto diz:

“Que esse mel adoce minha vida, com as bênçãos da Senhora do Amor! Agô Oraiêiê, Agô!”

Coloque o mel de volta em seu lugar, e então sopre por cima da água três vezes enquanto imagina a si mesmo(a) sendo abraçado(a) por uma mulher muito carinhosa e amorosa.

Coloque o copo de água de volta no lugar.

Pegue novamente o isqueiro, mas dessa vez com a mão direita, enquanto coloca a mão esquerda dois dedos abaixo do umbigo, tocando a sua própria pele.

Acenda a vela do Oeste, enquanto diz:

“Que essa vela purifique tudo que nela tocar, limpando a treva e trazendo a luz! Que a chama da mesma queime tudo aquilo que for menos que amor a mim, e destile o amor mais puro. A esse fim eu a dedico.”

Depois de acender a vela, coloque o isqueiro no centro do pano, tome a rosa vermelha com a mão esquerda e a rosa de cor rosa com a mão direita. Se não tiver trazido nenhuma das duas, faça o ritual com as suas mãos, imaginando que há uma rosa vermelha na mão esquerda e uma rosa de cor rosa na mão direita.

Passe a rosa vermelha por cima da chama (não deixe ela queimar!), imaginando que um fio de luz invisível liga a chama à rosa, e diga:

“Que essa rosa receba meu desejo, minhas vontades, especialmente a minha vontade de ter  (nome da pessoa que você quer amarrar junto a você, ou simplesmente “uma pessoa”) junto a mim, me amando e me desejando!”

Você pode fazer o mesmo com a sua mão esquerda, imaginando que há uma rosa vermelha ali.

Coloque a rosa (ou a mão esquerda) por cima de sua barriga, em contato com sua pele, dois dedos abaixo do umbigo.

Imagine todo o seu desejo saindo de você por ali, e indo para a rosa! Imagine também toda a sua solidão, toda a sua mágoa, tudo de ruim que já aconteceu contigo e que te deixou se sentindo sem valor ou incapaz de ser amada(o) por outra pessoa, ou de amar outra pessoa!

Você pode imaginar isso como melhor achar. Pode ser uma fumaça que sai de sua barriga, ou pode ser um líquido ou algo assim. Mas tenha a certeza – isso é seu desejo e sua mágoa que a rosa agora recebe por você, conectando você e a rosa, te permitindo dar a ela tudo que você quer e todos os motivos pelos quais você quer aquilo também!

Agora, pegue a rosa cor de rosa com sua mão direita e passe ela por cima da chama, imaginando um outro fio de luz conectando ela à chama. Você não precisa dizer nada, apenas colocar ela junto ao centro do seu peito e imaginar que ela brilha com uma luz bonita. Essa luz entra em você e preenche qualquer sensação de vazio que exista dentro de você.

Fique um tempo assim. Deixe todo desejo e toda vontade ir para a rosa vermelha. Deixe a luz da rosa cor de rosa te preencher por completo.

Caso sinta vontade de chorar ou de colocar a rosa cor de rosa em algum outro lugar do corpo, se permita. Está tudo bem. Caso não sinta nada, está tudo bem também. Um efeito poderoso está ocorrendo, e você pode passar por esse processo nos seus sonhos, onde você irá se sentir finalmente satisfeito(a) e pleno(a)!

Mas não mova a rosa vermelha.

Depois de se permitir sentir e meditar com as rosas, coloque as mesmas novamente em suas posições iniciais.

A rosa vermelha ao lado esquerdo da vela branca do Oeste, e a rosa de cor rosa ao lado direito.

Essas duas rosas estarão conectadas a você enquanto a chama da vela durar. Depois, elas deixarão de ser parte do ritual, e nada mais restará entre vocês.

Agora, pegue novamente o isqueiro, e dessa vez acenda a vela de mel.

Enquanto fizer isso, repita:

“Agô Oraiêiê! Oraiêiê! Essa vela eu dedico à mãe do amor, para que ela me ensine a amar! ”

Imagine a mulher cheia de amor de antes se aproximando de você novamente e se sentando ao seu lado, à sua direita.

Ela tem um espelho e um pente na mão, e começa a se olhar nele enquanto penteia os cabelos.

Pegue uma gotinha de mel, e jogue na língua. Sinta a doçura.

Caso tenha trazido o pente e o espelho, pegue-os e imite a mãe do amor, olhando para si mesmo(a) e penteando seus próprios cabelos.

Caso não tenha trazido, feche os olhos e imite o movimento de pentear seus cabelos.

Fique nisso por um tempo. Se deixe cuidar de si mesmo(a). Se deixe apreciar seu próprio rosto, e evite qualquer crítica a si mesmo(a), seja em termos de aparência ou qualquer coisa!

Imite a mãe do amor, e penteie seus próprios cabelos.

Depois que estiver satisfeito(a), coloque o pente e o espelho novamente em sua posição inicial e se levante.

Coloque a mão por cima do peito em agradecimento e agradeça mentalmente à Mãe do Amor e aos Guardiões.

Deixe as velas queimando e vá fazer outra coisa qualquer.

Depois, quando as velas tiverem terminado de queimar, retire o isqueiro, o pente, o óleo, os suportes de vela, o copo de água e o mel, e junte todo o resto (as velas, rosas e etc), batendo três vezes enquanto diz:

“Nada disso é meu! Nada disso tem nada de mim! Nada que está aqui é meu, e eu estou livre de tudo isso!”

Jogue tudo no lixo e despache a água em água corrente.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *