O Aeon de Set e as Palavras

Eu acredito que ter uma ideia acerca do Aeon de Set e do Setianismo em sua totalidade é importante para compreender a existência das Palavras. Cada Palavra é um fragmento de uma Ideia, a qual é útil para caminhar na via Setiana.

A Palavra Xeper (KHPR, pronuncia-se rrêffer), é uma palavra da língua Inglesa expressando um verbo Egípcio, que era representado por um escaravelho, significando “Eu vim a Ser”, “Eu vim a Existir”.

Esta Palavra gera o Aeon de Set, a Palavra Eterna do Príncipe das Trevas. Conhecer esta palavra é saber que a responsabilidade da evolução da sua mente é totalmente sua. Esta é a palavra da liberdade, do êxtase, que carrega uma responsabilidade terrível e a fonte de toda a Magia.

Um Aeon é um mundo. Como seres humanos estamos familiarizados com diversos “mundos”. Podemos falar sobre o “mundo de Thomas Jefferson”, ou o “mundo de Newton”. Mundos mágicos são criados por Palavras – o poder verbal da humanidade em expressar um princípio divino – através do qual o efeito dessa Expressão num universo objetivo, produz a criação do mundo. A Palavra serve com uma passagem para que a mente entre no mundo o qual ela define, o efeito da Expressão de Uma Palavra causará a reconfiguração de vários mundos para que ela seja Ouvida.

Xeper é a experiência de uma mente individualizada tornando-se consciente de sua própria existência e decidindo expandir e evoluir esta existência através de suas próprias ações. Xeper foi experimentada por qualquer um que decidiu buscar pelo próprio desenvolvimento.

A maioria dos estudantes de Ocultismo, acreditam que os Aeons são ciclos naturais do cosmos. Atualmente o mais evidente é o Aeon de Hórus, expressado através da Palavra Thelema, proferida por Crowley. Ele está mais presente, pois assim as pessoas o fizeram, graças a astúcia da Besta. Existem outros tantos Aeons “coexistindo” através das palavras de seus Magus.

Aqueles que encontrarem sua semente, poderão expressar sua Palavra e assim criar o seu próprio Universo. Mas apenas um tolo o faria, pois apenas um tolo acredita na Palavra de uma Besta e somente aquele tolo que tornou-se louco, acreditará possuir um Aeon.

Isso quebra o senso comum de que todo Aeon precisa ser grandioso, temporal e ter alguma parcela de glamour. O fato é que cada um de nós é uma partícula divina em busca de um propósito a partir de sua existência.

Não quer dizer que precise ter um propósito maior, divino, pois a existência por si só já é um propósito: a experiência do mundo material. O que ocorre além disso é que aqueles que possuem algum tipo maior de influência consegue causar um tipo maior de impacto.

Toda existência está entrelaçado nos fios de seus Aeon, porém essa partícula ainda é menor do que a própria existência do seu mago, então ele acaba sendo levado pela onda daqueles mais dominantes.

O processo iniciático dentro dos currículos ocultistas tentar trazer ferramentas para a tomada de conhecimento desse “processo”, porém de fato, poucas camadas as quais raríssimas acabam realmente propiciando esta abertura. Pelo simples fato de que humanos tendem a querer expandir seu universo pessoal e englobar os outros.

Qualquer autor de uma determinada corrente acaba querendo converter outros para aceitarem e propagarem o seu pensamento. Esta necessidade vem da vontade de se expressar no mundo, porém quando essa atitude se resume a uma reprodução de uma visão pré-estabelecida por outras pessoas, sem o real entendimento daquilo, esta pessoa estará aumentando o universo de outro ser, não a da sua existência.

As grandes religiões monoteístas são o melhor exemplo disto, elas reproduzem as visões de seus profetas, continuamente perpetuando esse momentum no universo objetivo. Mesmo os sacerdotes que distorcem o real sentido daquela palavra durante centenas e milhares de anos, acabam servindo apenas como um veículo de propagação daquela Vontade.

Poucas pessoas irão compreender o real sentido daquela expressividade, que de fato é universal e verdadeira. Portando o estudo aprofundado dos Aeons conhecidos, sua utilização de forma auto-evolutiva e expansiva, deve acompanhar a auto-realização, até que haja o momento de expressar e construir sua própria palavra.

Sobre o Aeon de Set (texto em inglês): Xeper: The Eternal Word of Set

Você também vai gostar...

1 comentário

Deixe uma resposta para pedro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *