Questionamento Místico: Se magia funciona, porque existem ditadores ainda?

Um bom momento a todos os leitores.

A pergunta do título é uma pergunta que voltou a minha mente nos dias recentes, quando observando grupos do nicho que são os grupos de magia nos Estados Unidos, vi membros questionando o porque do presidente Trump ainda estar bem, com tantos alegados ataques mágicos acontecendo.

Isso me fez ampliar este conceito para revoluções históricas que oprimiram o povo e perseguiram suas comunidades místicas e religiosas, como foi o caso da Revolução Russa e da Revolução Maoista, não que esteja comparando um governo democrático com algo assim, longe de mim isso.

Uma simples análise da situação leva a probabilidade não nula de que os líderes destas revoluções sofreram ataques mágicos cada vez mais fortes de seu povo e de seus inimigos, ataques focados, desesperados, aleatórios, entre outros, mas seus reinados de terror deixaram legados cruéis até os dias de hoje, amplie isso, para qualquer outro ditador marcante do século XX, como Pol Pot, al-Gaddafi, Saddam Hussein entre tantos outros, infelizmente. 

Enquanto muitos já trabalharam nos pontos óbvios de porque magia usada para atacá-los diretamente não dá certo no geral, e aqui digo alguns deles, como por exemplo, falta de organização unificada para os ataques (grupos ocultistas de facebook, tem mais força em números de membros participantes que muitos ataques mágicos históricos), falta de material para gerar uma conexão simpática, magos do lado do ditador e seu governo auxiliando em silêncio, mas eu quero me focar aqui em um detalhe muitas vezes desconsiderado para quem tenta atacar alguém em uma posição de poder.

O poder espiritual que o cargo tem.

Seja imposto por opressão, ou democraticamente eleito, um líder de um Estado, é o representante daquele Estado e das pessoas que vivem nele, com isso, quando um grupo tenta amaldiçoar este líder, ele não está atacando o indivíduo, ele está atacando o país, que tem uma força espiritual imensamente maior do que o indivíduo, isso vale para qualquer pessoa investida de um cargo de autoridade, com mais proteções equivalentes a importância que a população dá ao cargo, no Brasil por exemplo, um professor vai ter menos proteção espiritual que um juiz.

Aliás um líder democraticamente eleito tem mais harmonia com esta força do que um líder imposto, logo a chance de um governo destes cair por força mágica é ainda menor.

Existem métodos para burlar isso magicamente? Possivelmente, principalmente em tradições que trabalham com um foco maior em magia simpática, mas se fosse fácil ou pelo menos factível como uma possibilidade, isso seria uma preocupação mais pública no ápice da Guerra Fria, afinal até o pouso na Lua foi usado como uma tática de intimidação.

Então a magia, não tem papel ofensivo e ativo nas relações internacionais? Eu defendo que tem, mas não de uma maneira tão direta como é a esperança de muitos que vi, eu acredito que magia pode ser usada para gerar oportunidade e somar erros aos inimigos, coisas sutis mas que se somam, similar aos alegados efeitos obtidos pelo Departamento de Bruxaria que a Inglaterra usou na Segunda Guerra Mundial. 

Os muitos sistemas mágicos, são mais uma das ferramentas no jogo de poder, quando inseridos nas hierarquias, não é algo que vá redesenhar a face da guerra moderna, mas é algo que pode ser usado de uma maneira mais ampla, quando os recursos permitem.

 

 

 

 

Grato a todos pela atenção.

Dheib.

Você também vai gostar...

1 comentário

  1. Perfeita a colocação!! Essa breve exposição deixa bem claro os equívocos que muitos praticantes de magia, ocultistas ou mesmo simpatizantes possuem acerca da atribuição prática da magia… E você tocou em um ponto que é caro para a prática mágica e que muitos praticantes ou mesmo pretensos iniciados se esquecem, no afã individual de que são dotados de plenos poderes para alterar a realidade em níveis drásticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *