Calendário Magista – Agosto 2018

As datas astrológicas, sazonais e religiosas para agosto

Lua fora de curso:

Período em que a lua está entre os últimos graus de um signo e primeiros do próximo, não conseguindo formar conjunções harmônicas com nenhum outro planeta. Indica uma estagnação e confusão da energia intuitiva, sendo comuns atrasos, distrações e imprevistos. Recomenda-se tomar cuidado em relação a compromissos, não iniciar nada e nem tomar decisões nestes períodos, além de evitar rituais complexos.

  • 23h53 do dia 02 até 16h52 do dia 03
  • 20h47 até 22h32 do dia 05
  • 04h55 do dia 07 até 01h02 do dia 08
  • 08h21 do dia 09 até 01h18 do dia 10
  • 06h58 do dia 11 até 01h00 do dia 12
  • 01h38 até 01h58 do dia 14
  • 04h57 até 05h55 do dia 16
  • 12h08 até 13h46 do dia 18
  • 20h47 do dia 20 até 01h01 do dia 21
  • 11h20 até 13h56 do dia 23
  • 01h39 do dia 25 até 02h33 do dia 26
  • 10h55 até 13h36 do dia 28
  • 20h04 até 22h31 do dia 30

Fases da Lua:

As fases da lua são um dos ciclos mais comuns de serem observados para a prática magística. Embora especificações variem de acordo com cada linha, a lua nova costuma a indicar um período propício para consagrações e banimentos; e a cheia para concretizações e vidência.

  • 4 de Agosto de 2018: Lua Minguante
  • 11 de Agosto de 2018: Lua Nova
  • 18 de Agosto de 2018: Lua Crescente
  • 26 de Agosto de 2018: Lua Cheia

Confira aqui um estudo sobre fases lunares e energia psíquica

Janela de Consagração:

A astrologia hermética enxerga o momento em que Sol, Lua e Ascendente se alinham em um mesmo signo como o momento mais propício para uma consagração daquela energia. Em agosto, a janela de Leão acontecerá no dia 11/8 às 6:35.

Veja aqui um ritual para consagração astrológica 

Paganismo/Roda do Ano:

No dia 1 de agosto é comemorado o Imbolc no hemisfério sul. Baseado em celebrações celtas voltadas para a lactação das ovelhas e do gado, volta-se para o retorno do calor e a preparação para a primavera, sendo comuns rituais para o banimento de remorsos. Para o paganismo germânico, o período do fim do inverno era visto como o mais árduo (especialmente pela escassez de recursos) e eram feitas libações pedindo forças para divindades climáticas como Þórr. (Nota: costumo a celebrar nessa data um ritual com essa divindade que chamo de “Þórsblót“. Moro em uma região onde esta época do inverno costuma a ser muito seca, deixando o ar pesado com a poluição; então além dos banimentos, peço para Þórr que traga de volta a umidade, os ventos e a chuva e melhore a qualidade do ar -Ravn)

Você também vai gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *