Enochiano

Anjos? Deuses? Demônios? Muito se especula sobre o que são estes seres e qual a sua origem.

O que se sabe hoje, é que eles apareceram através do trabalho de Kelly e Dee, no século XVI.

Acredita-se que uma grande parte do trabalho da dupla foi perdido pelo tempo ou destruída pelas mentes malucas da sua época. O mais valioso do sistema, atualmente, são as 4 torres elementais, a tabela da união, a heptarchia mystica, as 19 chaves angélicas e os 30 aethyrs.

Há uma vasta bibliografia dedicada ao assunto, a qual recomendo a leitura dos livros dos Schuelers, também há bons livros do Lon Milo DuQuette, o Visão e Voz, do Cráulei (esse eu acredito que seja útil a leitura após ter realizado todo o trabalho dos 30 aethyrs) e também o livro do Frater Goya, que dá workshops de magia enochiana prática pelo país. Não pretendo expor muito do trabalho deles, pois ele é mais focado numa visão mais angélica dos Enochianos.

As divindades que foram apresentadas em Thelema, tiveram origem no trabalho enochiano que o Crowley realizou, Babalon e Therion foram divindades (ou estados de consciência) originados desse sistema. Na magia Draconiana, há um sistema criado pelo Michael Kelly, e apresentado no Livro The Sevenfold Mystery, focado na exploração dos 30 aethyrs e na evocação dos Príncipes e Reis elementais da Heptarchia Mystica, correlacionados com as 7 cabeças do dragão. A Trindade Draconiana nesse trabalho é representado pelas divindades VOVIN (o dragão mãe ancestral, o caos), BABALON (a dama escarlate), IAIDA (o mais soberano). Também há uma explicação mais profunda do que representa CHORONZON, como o limiar entre o manifesto e o imanifesto.

LaVey também fez uso deste sistema, fazendo a analogia de SAITAN com IAIDA, há na bíblia satânica chamados enochianos mais voltados para o trabalho das sombras. Mesmo com incredulidade, há relatos de que o próprio Edward Kelly fazia ressalvas de que os enochianos eram anjos caídos o que deu a fama de perigoso para o sistema, além do rumor de que o trabalho avia sido codificado para que as chaves não fosse acessadas por acidente, entrando em contato com estas energias poderosas “descoberta” por eles.

Há também relatos de que Michael Aquino, fundador do Temple of Set, construiu seu trabalho após o contato com estes seres.

Como um praticante de magia Draconiana, seguindo os trabalhos contidos no livro do Michael Kelly, após o término das explorações dos aethyrs e também da heptarchia mystica, há um trabalho mais profundo dedicado ao lado sombrio desse sistema. O livro Ordines Descendens, contém um valioso material, onde o autor apresenta o trabalho dos 4 palácios infernais e a tabela da discórdia.

Nele, no lugar dos 4 elementos materiais, estão os elementos imateriais (na falta de um nome melhor): o reino, a noite, o sangue e o iluminado. É um trabalho voltado a praticantes de LHP, que já iniciaram o trabalho com o Abismo e já tiveram contado com seu Daemon (mais popularmente chamado de Sagrado Anjo Guardião). A simbologia contida neste livro é mais voltada a uma polaridade oposta ao lado pomposo que deu aos enochianos a fama de angélicos.

É um trabalho mais avançado do que um trabalho sério com goécia e outros grimórios “demoníacos” que existem por aí. Em verdade, o livro é atribuído a John Dee, como se tivesse sido redescoberto, mas é mais provável que foi materializado por alguém em uma época mais moderna.

Aos curiosos, o livro pode ser encontrado pela internet, pois as cópias do original são numeradas e vendidas a preços absurdos.

O – RIP – Noplace

“There is Not a Secret Zero Un-Æthyr, which can Not exist because it is Nowhere and Nowhen and there is Nothing there.” – Michael Kelly, The Sevenfold Mystery

 

Você também vai gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *