Calendário Magista – Fevereiro 2018

A partir deste mês, cada calendário sairá no dia 20 do mês anterior.  Assim, haverá um bom tempo para planejamento e elaboração de práticas que utilizem as datas informadas.

Lua fora de curso:

Período em que a lua está entre os últimos graus de um signo e primeiros do próximo, não conseguindo formar conjunções harmônicas com nenhum outro planeta. Indica uma estagnação e confusão da energia intuitiva, sendo comuns atrasos, distrações e imprevistos. Recomenda-se tomar cuidado em relação a compromissos, não iniciar nada e nem tomar decisões nestes períodos, além de evitar rituais complexos.

  • 08h59 até 17h14 do dia 01
  • 05h07 até 19h48 do dia 03
  • 16h47 do dia 05 até 01h57 do dia 06
  • 05h17 até 11h54 do dia 08
  • 21h20 do dia 10 até 00h22 do dia 11
  • 03h44 até 13h12 do dia 13
  • 19h06 do dia 15 até 00h42 do dia 16
  • 20h14 do dia 17 até 09h05 do dia 18
  • 08h12 até 16h12 do dia 20
  • 08h46 até 21h08 do dia 22
  • 16h59 do dia 24 até 00h07 do dia 25
  • 18h52 do dia 26 até 01h42 do dia 27
  • 20h14 do dia 28 até 02h58 do dia 01 de Março

Fases da Lua:

As fases da lua são um dos ciclos mais comuns de serem observados para a prática magística. Embora especificações variem de acordo com cada linha, a lua nova costuma a indicar um período propício para consagrações e banimentos; e a cheia para concretizações e vidência.

  • 7 de Fevereiro de 2018: Lua Minguante
  • 15 de Fevereiro de 2018: Lua Nova
  • 23 de Fevereiro de 2018: Lua Crescente

Confira aqui um estudo sobre fases lunares e energia psíquica

Janela de Consagração:

A astrologia hermética enxerga o momento em que Sol, Lua e Ascendente se alinham em um mesmo signo como o momento mais propício para uma consagração daquela energia. Em fevereiro, a janela de Aquário acontecerá no dia 15/2 às 5:10.

Veja aqui um ritual para consagração astrológica

Roda do Ano:

Os calendários pagãos do hemisfério sul costumam a posicionar festivais dedicados a colheita entre os dias 01 e 02 de fevereiro. No paganismo germânico, costuma-se a louvar Freyr e outros deuses do panteão vane; a prosperidade e fartura são celebrados e há agradecimentos pelos ganhos da estação, porém também é pedido sabedoria para lidar com estes recursos já que logo o inverno chegará. Em linhas de bruxaria moderna costuma-se a celebrar o festival Lughnasadh, onde deuses solares são louvados.

Você também vai gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *