Uma via Draconiana

 

Supostos praticantes do Caminho da Mão Esquerda usam este rótulo apenas para suprir alguma necessidade emocional. Tentam criar uma imagem falsa de si mesmo para o mundo, buscam relevância, mostram-se como malvados e poderosos. Pobres almas… apenas estão projetando os buracos do seu subconsciente. Eu apenas digo, este é o caminho do silêncio, pois na busca da imortalidade da mente, pouco importa o que o outro pensa de você.
A magia Draconiana nada mais é do que aquela que carrega o simbolismo na figura do Dragão. Aqui no Brasil, por exemplo, existem autores relatam seres supostamente sombrios, participantes de uma hierarquia maléfica que conspira para manter a população como escrava de sua vontade. No oriente, a figura do dragão é carregada de poder, sabedoria e nobreza. Na ficcção, dragões costumam ser animais selvagens, levando destruição e caos por onde passam. Em  filosofias esotéricas, os dragões carregam o simbolismo de uma grande força elemental, um dragão do ar por exemplo, seria uma consciência poderosa capaz de criar furacões e devastações simplesmente pela sua presença. Mas então, o que tudo isso tem a ver com magia?

17fev2013---dragao-anima-multidao-durante-desfile-do-ano-novo-chines-em-sydney-na-australia-neste-domingo-17-o-evento-contou-com-mais-de-3500-artistas-chineses-e-australianos-1361111259967_956x500

 

O Dragão em um  sentido mais filosófico, é a nossa ancestralidade selvagem, onde no sistema evolutivo os répteis precederiam os mamíferos. Por equívocos de interpretação vindas do mundo profano, há distorções de significado. Uma delas é a teoria da conspiração relacionada a seres reptilianos, que controlariam governos para manter toda a população como escrava. Isto é um erro. As pessoas apenas são escravas de suas paixões vazias e dos medos inconscientes de si mesmo. Buscam preencher suas vidas com o que vem de fora, afastando-se cada vez mais da sua própria essência. Caem no abismo da letargia coletiva e perdem o contato com os mundos interiores, restando apenas o apego à materialidade do mundo moderno.

Normalmente não sabemos merda nenhuma sobre nós mesmos, por isto, os trabalhos dentro desta corrente poderão ser desagradáveis. Entramos em contato direto com aquilo que existe nos mundos interiores, revelando tudo que tentamos esconder. A sociedade nos ensina a ver cor-de-rosa. Somos programados na busca de uma satisfação visual, mas em algum momento toda essa beleza inexiste, conscientes ou não deste fato. A via Draconiana é um sistema de autoconhecimento, é o trabalho da deificação do Eu e da imortalidade da psique individual. Contrário a este pensamento, o Caminho da Mão Direita é a dissolução do Eu numa consciência universal, atingindo a unicidade com o Todo. A magia Draconiana é um método de Mão Esquerda. Normalmente, os signos ligados a esta filosofia carregam uma imagem sombria, rotulam este caminho como algo nefasto e distante da realidade celestial, mas infelizmente, olhar para o abismo interior é a única forma de enxergar por completo o verdadeiro Eu.

O caminho da reintegração da mente consciente com a subconsciente é o autoconhecimento, esta trilha apresenta elementos que poderão ser vistos como primitivos. Este entendimento é o que nos dará condições de dominar estas forças ancestrais. Quando você dominá-las, você se tornará deus, mas deus de si mesmo e apenas de si mesmo. Numa forma mais simplória: você aprende a cuidar da sua própria vida em todos os seus aspectos, seu corpo físico, suas emoções e seus pensamentos. É simples não é? Nem um pouco. Fique parado por uma hora na mesma posição sem se mexer, consegue? Mantenha sua mente completamente vazia por uma hora, enquanto caminha pela rua. Ouça o melhor álbum de sua banda favorita sem sentir o mínimo de emoção. Complicou! Obviamente eu dei exemplos extremos e sem nenhuma utilidade prática, mas foi apenas para ilustrar essa complexidade.

Nenhum dos caminhos é melhor do que o outro, é apenas uma questão de escolha e afinidade. Obviamente, a interpretação da busca pela individualidade do Ser não justifica que você seja filho da puta e egoísta, não ajudando outras pessoas. Afinal, nós vivemos em um mundo coletivo e dependeremos do outro em algum momento. Seja de qual forma for, retribuição é educação moral, um valor que deve ser cultuado. Já pensou se todo grande ocultista dedicado aos estudos do LHP¹ fosse um babaca egoísta? Esse conhecimento não teria chegado aos dias de hoje. Da mesma forma, um praticante do RHP² não deveria se sentir culpado de pensar um pouco em si mesmo. Afinal, você não pode pensar o tempo todo nos outros e esquecer de si, isto vai gerar escassez, você se sentirá esgotado e se encherá de bloqueios mentais achando que não está sendo bom o suficiente. Às vezes um pouco de egoísmo é saudável (do tipo aprender a dizer NÃO em determinadas situações). Não seja um idiota escravo de seus medos e culpas. Aquele instante em que você não tem mais motivação nem energia para fazer as coisas que normalmente adora, é quando a fonte seca, sendo o momento propício para encontrar alguma forma de se preencher novamente. O combustível da sua Vontade é o Desejo, e de alguma forma ele não está mais fluindo. Busque o equilíbrio!

37094cf3edb272ebe0712195c1063f3d

Enquanto a filosofia Budista está centrada no cessar da existência, podendo ser considerada a forma mais pura do RHP, a filosofia Draconiana está na Remanifestação. O Iniciado sempre lutará para perpetuar sua existência individual. Sofrer por karmas de vidas passadas, abdicar de todos prazeres do mundo material até sair da samsara³ dissolvendo sua essência na Unidade, não é meta na vida do Adepto deste caminho. A perspectiva Draconiana é que a vida terrena é uma grande arena onde devemos desenvolver nossa única e indissolúvel essência, por isto o objetivo será a Remanifestação.

Então amigo, sintetizamos aqui um pouco do que é o LHP e a via Draconiana: a busca pelo Eu, a confrontação de dogmas impostos por uma falsa moral coletiva e o aprofundamento na nossa substância ancestral, ilustrada pela figura do Dragão. Esta é a nossa essência única e indissolúvel.

115

Devemos desenvolver uma nova perspectiva, aprendendo a enxergar a verdade que existe dentro das trevas.

Os próximos textos serão sobre a Trindade Draconiana.

 

– Mantenha o silêncio.
K.

*LHP significa Left Handed Path, o Caminho da Mão Esquerda, também conhecido como o caminho do Rigor.
²RHP significa Right Handed Path, o Caminho da Mão Direita, também conhecido como o caminho da Misericórdia.
³Samsara: segundo a filosofia budista, numa forma mais simplória, é o ciclo de reencarnação no mundo material.

 

PAZ
K.

kass

 

Você também vai gostar...

3 Comentários

  1. Apesar de não ser praticante de magia e ocultismo, identifico-me com esta via de pensamento. A ideia de me dissolver num todo num certo momento evolucional e perder minha individualidade não é algo que me agrade. Vejo minha totalidade sem perder minha individualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *